Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




Domingo juntámos a família toda em casa do meu sogro para um convívio, já que eu e B não voltamos a Lisboa tão cedo. Toda a gente levou qualquer coisa, foram miúdos e graúdos, uma animação. Tirando um pequeníssimo pormenor - as tias e primas do B achavam genuinamente que íamos anunciar uma gravidez, de tal modo que queriam passar numa loja a comprar roupinhas, não fosse a intervenção da minha cunhada! Fiquei para morrer! E pior, nós a dizermos que não e elas a desconfiar que sim. Juro que, por momentos, estive quase quase para dizer eu sei que estou gorda, mas acreditem que é só isso, no limite é uma gravidez emocional, pois as saudades dão-me para comer! Mas não, optei por me rir da situação. Passei 26 anos da minha existência a responder o mais delicadamente possível à questão do "quando é que casas?" (sendo que na maior parte das vezes nem namorado tinha, que dirá noivo), mas aparentemente as pessoas rapidamente passam para a seguinte "e quando é que temos bebé?". As primeiras vezes teve graça, agora confesso que já não acho muita. Para começar não temos mesmo pressa: casámos há pouco mais de um ano, tenho 28 anos acho que ainda vou a tempo, vivemos num país que não prima pela segurança e condições de saúde, caramba, deixem-nos em paz! E pior, ouvem-se imensas histórias de pessoas que querem engravidar e não conseguem, imaginem quererem muito e não poderem, e ainda terem de levar com o resto da malta a massacrar-vos? Pessoas o corpo é nosso, a vida também, cada casal é que deve decidir se e quando terá filhos, a seu tempo e de acordo com a sua vontade! Claro que queremos ser pais, se Deus permitir (e a vida também) de 3 saudáveis e felizes crianças, mas quando tiver de ser será. Não vamos certamente apressar o processo porque 99% das pessoas nos estão a pressionar para isso. Graças a Deus os meus pais estão 100% nisto comigo. Já a restante família está ansiosa, só me apraz dizer: Tenham-nos vocês!!! Fico tremendamente feliz pelas minhas amigas que estão grávidas e sou totalmente apaixonada pelas minhas sobrinhas, priminhas e priminhos (ainda esta semana soube que vamos ter mais uns gémeos na família!), adoro escolher roupinhas e brinquedos para oferecer, mas por enquanto isso é para os outros, não para nós! Para finalizar este tema, deixo-vos um artigo no qual me revi bastante.

baby3.jpg

Zara Home Kids, AW15

Tags:


2 comentários

Imagem de perfil

De Miss Fox a 09.10.2015 às 12:21

Típico...
A mim é "tens de arranjar um namorado". Nunca tornei nenhuma das minhas relações oficial, apenas os meus amigos sabiam e sabem, portanto para os outros sou uma solteirona. Não sabem eles da missa metade...Quem mania das pessoas que a partir de uma certa idade temos de arranjar um gajo, casar e ter filhos.
Imagem de perfil

De marrocoseodestino a 13.10.2015 às 17:23

Apesar de ter uma filha do primeiro casamento nunca consegui ter do segundo. Já lá vão 16 anitos e nada. Portanto como deves calcular essa pergunta fez e ainda faz parte das conversas.
Agora não ligo muito, mas tive alturas em que chorava quando me faziam essa pergunta.
Isso é algo que jamais perguntarei a alguém.

Comentar post



Mais sobre mim

foto do autor


Instagram

view my food journey on zomato!



Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D